Remuneração Total

Ingrid Chaves*


A Remuneração Total é o somatório dos componentes de remuneração que são pagos pelo empregador ao empregado em uma relação de trabalho.


Ela pode ser dividida entre Remuneração Direta e Remuneração Indireta.


Entende-se por Remuneração Direta tudo o que a organização paga em dinheiro. Já a Remuneração Indireta é paga através dos benefícios oferecidos a seus funcionários e dependentes como forma de promover a motivação, a saúde e a qualidade de vida, contribuindo para a produtividade de seus colaboradores.


Os componentes de remuneração mais comuns são:


REMUNERAÇÃO DIRETA


Salário-base

É o valor fixo definido em Contrato de Trabalho. Também conhecido como salário bruto, ele não considera adicionais e é a base para todos os cálculos trabalhistas.


Adicionais fixos e variáveis

São pagamentos adicionais ao salário base, tais como: insalubridade, periculosidade, adicional noturno, horas extras, etc.


A diferença entre eles é que os adicionais fixos são pagos mensalmente e não variam de valor ao longo dos meses, salvo se houver o aumento do salário-base. Já os adicionais variáveis, podem ou não serem pagos mensalmente, bem como podem sofrer alteração de valor ao longo dos meses, como é o caso das horas extras, por exemplo.


Incentivos de Curto Prazo

São incentivos que são pagos em período igual ou inferior a um ano. Podemos citar: Comissões de Vendas, Participação nos Lucros e/ou Resultados (PLR), Bônus, etc.


Incentivos de Longo Prazo

Incentivos pagos, normalmente, em períodos superiores a 3 anos, como, por exemplo, bônus diferido e Programas de Ações.


REMUNERAÇÃO INDIRETA


Benefícios

Plano de saúde, plano odontológico, seguro de vida, previdência privada, vale refeição, vale alimentação, vale transporte, check-up, automóvel, vale combustível, etc.


Para além da Remuneração Total


Com o objetivo de tentar se diferenciar do mercado para atrair e reter profissionais qualificados, muitas organizações vêm expandindo o conceito de Remuneração Total, para além dos componentes apresentados acima.


Dessa forma, as organizações estão trabalhando constantemente no desenho e comunicação de sua proposta de valor ao empregado, buscando fortalecer a imagem de sua marca frente à sociedade, oferecendo programas de reconhecimento cujos prêmios não são financeiros, mas sim experiências (ex: viagens), pensando em benefícios além dos convencionais, investindo em programas sociais e de diversidade, cuidando da qualidade do ambiente de trabalho, etc.


Ou seja, em um cenário no qual as empresas irão competir cada vez mais globalmente pelos seus talentos, o seu é o limite para a criatividade!

Fontes:

ROBINETTE, S. Marketing Emocional. Pearson, 2001.

WOOD JUNIOR, T.; PICARELLI FILHO, V. Remuneração Estratégica: a nova vantagem competitiva. Atlas, 1999.


*Artigo escrito por Ingrid Chaves, Membro da Diretoria Executiva da ABRH-RJ e Coordenadora de RH na State Grid Brazil Holding.


Remuneração Sem Complicação, a série de artigos de Grupo RecomPense.




667 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo