29/08/2017

Café Literário 2017

por ABRH-RJ

O 5º Encontro do Café Literário,  realizado em 22 de agosto de 2017  –  foi aberto por José Carlos Freitas, Diretor do PSH da ABRH-RJ que, após dar as boas vindas a todos, chamou André Lima representante da Univéritas para uma breve apresentação.

A seguir, José Carlos falou sobre os programas desenvolvidos pela ABRH-RJ, a importância do Café Literário e os benefícios de ser associado.

Na continuidade detalhou a Edição 2016 do Prêmio, os cases vencedores  e lembrou também o prazo para as inscrições para o PSH 2017 (31.08.17), destacando todos os benefícios do Prêmio e a importância dessa inscrição para a Empresa e para os responsáveis por Cases.

Myrna Brandão explicou que o Café Literário é um programa destinado a proporcionar um momento de reflexão literária, resultando numa oportunidade de desenvolvimento profissional e cultural, intercâmbio de experiências, network e disseminação do conhecimento.

Falou um pouco de sua história, lembrando  que o Café Literário é algo bastante antigo.  Os primeiros remontam ao tempo em que escritores escreviam ou ficavam horas do dia e da noite, às vezes até alta madrugada nos cafés, principalmente europeus, conversando com pares, discípulos e admiradores.

Após falar especificamente sobre o Café Literário na ABRH-RJ – que é desenvolvido desde 2004 – fez um agradecimento especial a Hamida e Saidul Mahomed da Qualitymark, editores do livro, por possibilitarem mais um produto valioso para a área e os profissionais de recursos humanos.

Em seguida Saidul Mahomed fez uma exposição sobre a Editoria do Livro, sua parceria com a ABRH-RJ e deu uma significativa aula para os presentes sobre o “Futuro da Área”.  

A seguir cada autor expôs o seu Case com  depoimentos sobre  quanto o prêmio foi importante para todos que trabalham em suas  empresas, para o aumento da motivação dos empregados e para o crescimento e visibilidade daquelas organizações.  Todos agradeceram várias vezes,  enaltecendo  a iniciativa e expressando o que significou  para suas vidas ter tido esse reconhecimento, palavra que foi repetida por várias vezes.

Apesar da diversidade dos temas e das experiências vivenciadas na gestão de pessoas – ou até  principalmente por elas – os depoimentos expressos no Café Literário mostraram que houve muitos laços que uniram as práticas relatadas e o cerne do livro: compartilhamento,  priorização do ser humano, a excelência do trabalho realizado, a motivação, a competência dos cases  e a sinceridade e veracidade com que foram relatados. 

Foi muito interessante constatar que entre os Cases apresentados, alguns tem relação direta com programas que estão na pauta de eventos da ABRH-RJ como o Fórum Saúde e o Grupo de Diversidade.

Em relação ao Fórum Saúde, foi o caso do INPI, cujo  Programa Qualidade de Vida buscou a harmonia entre vida pessoal e profissional, reconhecendo o ser humano em todas as suas dimensões – física, emocional, social, profissional, intelectual e espiritual. E considerando ainda várias atividades que possibilitam inclusive a adoção da saúde preventiva e não apenas corretiva.  Quanto ao Grupo Diversidade, foi o caso ótimo programa que está sendo desenvolvido na Casa da Moeda sobre Gestão da Diversidade. 

Em resumo, o debate em torno do livro foi uma demonstração ímpar que  dividir o saber, o conhecimento e a experiência, além de ser um ato de generosidade, é acima de tudo, a certeza de deixar um legado.

Ao final, José Carlos e Myrna encerraram o encontro agradecendo a presença de todos e à equipe da ABRH.