13/06/2017

Desembargador Cesar Cury defende o fim da cultura do litígio

por Redação

 

Magda, Cury e Mariana apontaram os benefícios dos méotodos altenativos de reslução de conflitos

 

Membro da mesa do RH-RIO que debateu o uso da medição para resolução de conflitos dentro das empresas, o desembargador do TJ-RJ Cesar Cury, presidente do FONAMEC (Fórum Nacional de Mediação e Conciliação), avaliou que a Lei da Mediação, sancioanda em 2015, representou um importante passo para o fim da cultura do litígio. Para o desembargador, o brasileiro sempre busca os tribunais na hora de resolver um problema. Ele aponta a mediação e o novo Código de Processo Civil como marcos no ordenamento jurídico, desde a Constituição Federal, em 1988.

“A mediação talvez tenha causado o maior impacto legislativo na vida social do país e representa a perspectiva de novos rumos. Foi um importante passo para a implementação da cultura e das medidas alternativas de resolução de conflitos”, afirmou.

Cury avalia que a Lei de Mediação poderá ter o mesmo sucesso que as leis que resultaram no processo educativo para uso do cinto de segurança e para o combate ao consumo de bebida alcóolica por condutores de veículos.

O tema foi selecionado para uma das mesas porque muitas empresas têm encontrado na mediação um método eficaz, que tem entre seus benefícios a confidencialidade, a celeridade e a imparcialidade.

Promovido pela Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-RJ), o RH-RIO aconteceu no Centro de Convenções do Windsor Oceânico, na Barra da Tijuca. Também participaram da palestra “O Poder da Mediação” a diretora jurídica da ABRH-RJ, Magda Hruza, e a coordenadora do CBMA, Mariana Freitas.